banner-gaia-AF

Políticas Públicas na melhoria da qualidade de vida do goianiense

Políticas Públicas na melhoria da qualidade de vida do goianiense

mapa-goiania

A publicação do Atlas da Vulnerabilidade Social nas Regiões Metropolitanas Brasileiras, em 2015, possibilita calcular o Índice de Vulnerabilidades Social (IVS), para recortes espaciais intrametropolitanos, por meio de uma única matriz conceitual, que permite desvendar as desigualdades sociais presentes nas Unidades de Desenvolvimento Humano (UDHs), bem como identificar territórios prioritários para a intervenção de políticas sociais.

A vulnerabilidade não é uma condição inata do individuo, mas está relacionada com uma combinação de arranjos sociais, políticos e econômicos que incidem das mais diversas formas nos indivíduos. Ou seja, retrata as condições de vida dos mesmos.

O IVS é composto por 16 indicadores representados em 3 dimensões: infraestrutura urbana, capital humano e renda e trabalho. O índice varia de 0 a 1. Quanto mais próximo de 1, maior o a vulnerabilidade social.

Vulnerabilidade Social – faixa de valores:

 

Muito Baixa – 0,000 a 0,200; Baixa – 0,201 a 0,300; Média – 0,301 a 0,400; Alta – 0,401 a 0,500; Muito Alta >0,500

O IVS, em 2000, na RM de Goiânia era 0,430, situando-se na faixa de alta vulnerabilidade social. Já em 2010, o registro do IVS é de 0,340, passando para a faixa de média vulnerabilidade social. Conforme quadro abaixo, a variação no período analisado 2000 e 2010 corresponde a 20,90% de redução da vulnerabilidade. Quanto maior o indicador, maior a vulnerabilidade social. Vale ressaltar que a faixa muito alto de vulnerabilidade social é suprimida em 2010.

RMG – Índice de Vulnerabilidade Social, 2000 e 2010

2000

2010

IVS RMG

0,430

0,340

IVS Infraestrutura

0,449

0,429

IVS Capital Humano

0,482

0,367

IVS Renda e Trabalho

0,359

0,224

Δ IVS 2000-2010 %                   -20,9%
Fonte: Atlas da Vulnerabilidade Social nas Regiões Metropolitanas Brasileiras. Ipea,2015.
 Os resultados, por dimensões, demonstram que o IVS Capital Humano, em 2000, era 0,482, passando, em 2010, para 0,367. O IVS Infraestrutura Urbana era de 0,449 e, em 2010, registrou 0,429. Já o IVS Renda e Trabalho era de 0,359, passando para 0,224, em 2010. Percebe-se que houve redução em todas as dimensões da vulnerabilidade social, com destaque para o IVS renda e trabalho, saindo da faixa média para a de baixa vulnerabilidade. O IVS infraestrutura foi o que teve o pior resultado, no período de 2000 e 2010, permanecendo na mesma faixa de alta vulnerabilidade. Neste sentido, requer maior atenção na implementação de políticas públicas nas áreas de saneamento básico e mobilidade urbana, uma vez que são os principais componentes desse indicador.

0mapa

A configuração do IVS, por UDHs, da RM de Goiânia, destaca a distribuição dos valores mais altos e os mais baixos na região.  Em 2000, observa-se que grande parte das UDHs com valores mais baixos de IVS situa-se na região central da RM, ou seja, na capital Goiânia.  Já as UDHs que registravam os valores de vulnerabilidade mais alto e médio localizam-se nas regiões leste e oeste, ou seja, na zona periférica do território metropolitano (Caturaí, Goianira, Trindade, Guapó, Aparecida de Goiânia, Senador Canedo e Bonfinópolis).

Em 2010, verifica-se que o número de UDHs de IVS mais baixos, ainda, permanece concentrado no núcleo central do município de Goiânia, com presença de pequenas manchas localizadas nos municípios de Inhumas, Trindade, Aparecida de Goiânia e Senador Canedo. No que se concerne os valores mais altos de IVS, ainda, continuam concentrados em UDHs situadas na zona periférica metropolitana, corresponde às zonas leste, uma parte do sul e oeste da região, distribuídas em vários municípios.

Apresenta a seguir os dez melhores e os dez piores resultados de UDHs da RM de Goiânia no IVS em 2010. As UDHs com menor vulnerabilidade social estão localizadas predominantemente no núcleo central da Capital. Já As UDHs com maior vulnerabilidade social estão localizadas, em geral, no Oeste e leste da RM de Goiânia.

RMG – Melhores e piores UDHs no IVS – RMG – 2010

Melhores

municípios

UDHs

 

IVS Piores

municípios

UDHs IVS
Aparecida de Goiânia Região Garavelo / Condomínio Jardins Viena/Jardins Mônaco 0,060 Trindade Residencial Santa Fé / Setor Laguna Park / Setor Vida Nova 0,481
Goiânia Marista: Av. 136 0,060 Trindade Samarah / Jardim Decolores / Clube do Lago / Setor Bela Vista 0,478
Goiânia Bueno: Av. T-63 / Parque Vaca Brava 0,060 Trindade Condomínio Imperial / Chácara Pontakayana / Setor dos Bandeirantes 0,473
Goiânia Alphaville Flamboyant / Jardins Munique / Portal do Sol 0,060 Goiânia Vila Rica / Unidade Territorial de Planejamento Cisnes Norte 0,442
Goiânia Jardins Milão / Jardins Paris / Jardins Atenas / Jardins Verona 0,060 Goiânia Unidade Territorial de Planejamento Jardim Primavera 0,440
Goiânia Jardim Europa / Jardins Florença 0,060 Goiânia Madre Germana / Itaipu / Esmeraldas 0,440
Goiânia Aldeia do Vale / Monte Verde 0,060 Goiânia Residencial Ytapuã / Monte Pascoal / Setor Eldorado Oeste / Lírios do Campo 0,437
Goiânia Bela Vista (Av. T-63) / Bueno (Rua S-1) 0,063 Caturaí Caturaí 0,428
Goiânia Bela Vista: Estádio Serrinha / Pedro Ludovico: Parque Areião / Terminal Izidória 0,063 Aparecida de Goiânia Região Tiradentes: Maranata / Jardim Dom Bosco / Ipê / Madre Germana 0,426
Goiânia Oeste: Pça. Tamandaré / Marista: Shopping Bougainville 0,063 Aparecida de Goiânia Região Central: Jardim das Acácias / Ana Rosa / INT Parque / ALV Sul 0,425

Os números mostram um avanço significativo de erradicação da pobreza na RM de Goiânia, para o período de 2000 e 2010, em especial na dimensão Renda e Trabalho, a faixa de alta vulnerabilidade do IVS ter sido suprimida em 2010, os desafios continuam, no sentido de buscar e/ou dar continuidade na implementação de políticas públicas efetivas, que visa, cada vez mais, a melhoria da qualidade de vida da população susceptível à vulnerabilidade social.

FONTE: SECIMA.GO.GOV.BR

Posts relacionados

Desenvolvimento de projetos e licenciamentos ambientais junto a Agrodefesa, Ministério da Agricultura, DNPM, IBAMA, SECIMA, AMMA, SEMMA e outros órgãos ambientais em todo o Brasil.

Saiba Mais